O chá nos Açores


A cultura do chá terá sido introduzida nos Açores por Jacinto Leite, um micaelense que, por volta de 1820, criou a primeira plantação em S. Miguel, com sementes trazidas do Rio de Janeiro, Brasil, onde exercia o cargo de comandante da guarda-real na corte de D. João VI. No século XIX o desaparecimento da produção de laranja nos açores impulsionou os membros da Sociedade Promotora Micaelense para o cultivo do chá tendo este atingido seu apogeu na década de 50 com 250 tons. resultantes de 300 ha de cultivo.

A primeira guerra mundial e posteriormente as protecções aduaneiras ao chá de Moçambique desencadearam progressivamente uma crise. Em 1966, de 14 fábricas transformadoras de chá restavam apenas 5. Actualmente sobrevive uma: a Fábrica de Chá Gorreana que, desde 1920, utiliza energia eléctrica aproveitando um curso de água; as outras funcionavam com máquinas a vapor.